Avô é suspeito de abusar da neta de apenas 4 anos em Umuarama

Criança reclamava de dor na região genital e teria dito que o avô havia introduzido o dedo em sua vagina durante o banho

0 53

Um médico do Pronto Atendimento de Umuarama acionou a Polícia Militar (PM), nesta quinta-feira (06), após constatar sinais de agressão sexual em uma menor de apenas 4 anos. O suspeito do abuso é o próprio avô paterno da criança. A mãe confirmou a agressão sexual ao ser questionada pelos policiais.

Segundo boletim de ocorrência da polícia, a criança reclamava de dor na região genital e que ela informou que o avô havia introduzido o dedo em sua vagina durante o banho. O médico confirmou que a região vaginal da menor estava aumentada por conta da agressão sexual.

Após ser avisada pelo médico que a Polícia Militar precisaria ser informada do caso, a mãe da menina foi embora com ela. Mas com os dados da mulher, registrados junto ao Pronto Atendimento, a polícia conseguiu localizar a residência da família.

Ainda de acordo com a PM, a mãe da criança confirmou o abuso sexual e ainda disse que o avô apenas tinha colocado o dedo na vagina da filha e que não sangrou e nem provocou o rompimento do hímen. A mulher não quis fornecer o endereço do agressor, dizendo que não queria que ele fosse preso.

Os policiais também registraram que o pai da criança estava na casa e que ficou indignado com a esposa, dizendo a ela: “viu o que você fez?”. Por orientação do delegado Osnildo Carneiro Lemes, a mãe e a criança foram levadas para a 7ª Subdivisão Policial.

A Polícia Civil registrou o caso e agora deve investigar a agressão sexual contra a menor. A Polícia Militar também frisou que o Conselho Tutelar foi informado. A pena para estupro de vulnerável varia de 8 a 15 anos de prisão e se houver lesão corporal grave, a pena pode ser de 10 a 20 anos em regime fechado.

Fonte: Portal da Cidade Umuarama

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.