IMAGENS FORTES! Rebelião sangrenta neste domingo no ‘fechado’ do complexo penitenciário Anísio Jobim. Seap confirma mortes de 15 detentos

0 133

Neste domingo, 26, em horário de visita dos familiares, no começo da tarde, os detentos de pavilhões do regime fechado do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) deram início a uma rebelião sangrenta.

A polícia ainda não confirmou o total de mortos. Os corpos foram encontrados com muitas perfurações dentro de algumas celas.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) confirmou a rebelião por volta das 12h. O Instituto Médico Legal já tinha sido acionado para remover os corpos dos detentos mortos.

A Tropa de Choque e a Rocam, ambos do Batalhão Especial da Polícia Militar do Estado, também foram acionados pela direção do Compaj, localizado no quilômetro 8 da rodovia BR-174, que liga Manaus a Boa Vista, em Roraima.

Equipe do IML chegando para iniciar a remoção dos corpos

Foi confirmado que no início do motim os presos fizeram vários visitantes reféns e todos foram levados para o pátio do presídio. Logo em seguida foi iniciada a matança.

Alguns familiares de presos contaram que quando eram retiradas de dentro da unidade pela polícia, chegaram a ver presos amarrados e sendo golpeados pelos detentos rebelados.

A mãe de um detento, senhora com 67 anos de idade que foi visitar o filho neste domingo, passou mal e teve de ser atendida por uma equipe de socorro do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu).

O comentário principal em grupos do WhatsApp é que do lado de fora haviam muitos parentes de presos que iam visitar os detentos quando a rebelião começou, e que houve muita gritaria, correria e pânico geral dentro do Compaj.

Familiares dos detentos foram colocados para o lado de fora e visitas

 foram canceladas após o início da rebelião sangrenta (Fotos: Divulgação) 

As pessoas que visitavam detentos do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), que é anexo ao Complexo Penitenciário Anísio Jobim, também tiveram que deixar a unidade e as visitas foram canceladas.

Por volta de 13h30, a polícia já havia controlado o motim. A equipe do IML começou a remover os corpos após a realização da perícia criminal dentro das celas onde aconteceram os assassinatos.

Até ás 14h, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária e a direção do Compaj ainda não tinham divulgado o número oficial de detentos assassinados durante a rebelião.

ATENÇÃO! IMAGENS FORTES! 

 Fotos: Divulgação

portaldozacarias

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.